Número total de visualizações de página

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

FLECHADAS NO PS DE LAMEGO ......






No dia 7 de Dezembro o PS de Lamego foi a votos para eleger o Presidente e a sua Comissão Politica.
Um sábado, que deu um movimento à Rua de Almacave como já não se via há bués de tempos !!!
Na luta para mandar no PS de Lamego estiveram Manuel Ferreira e Pedro Torres.
Ganhou o Ferreira e deu uma cabazada ao Torres.
Não era novidade para ninguém do PS local que Manuel Ferreira se recandidataria à liderança do PS de Lamego, acalentando a esperança de que com os bons resultados eleitorais autárquicos que obteve, não houvesse lista opositora.
Mas corriam zurzimentos de que o grupo dos Barradas, dos Zé Luis, das Catarinas Rochas, dos Pedros Torres, das Marisas Cardosos, dos Adelinos  ….. que se autodenominam socialistas livres, continuavam na onda de “os únicos bons, mesmo mesmo bons somos só nós” !!!
Com a marcação das eleições internas, o grupo dos livres reuniu, reuniu, reuniu e do café Espirito Santo saiu a decisão de que haveria o repetitivo confronto, e que depois do Barradas, do Zé Luis e da Catarina Rocha terem levado já bastante no pêlo em eleições internas no PS em Lamego, era chegada a vez de Pedro Torres mostrar o que valia. 
A campanha foi acesa … e os contatos matraquilharam-se !!! 
Manuel Ferreira na sua propensão acelerada e saltitante fez uma campanha calcorreante rua abaixo, rua a cima e contabilizava apoios.
Os senhores do PS livre fizeram uma campanha como manda o figurino, tiveram até apresentação de candidatura com pompa e circunstância no Hotel de Lamego, andavam bué entusiasmados e antecipavam a sua finalmente grande vitória !!!
O entusiasmo vitorioso diziam, tinha a ver com o posicionamento da guerreira rosa Moutela a assentar arrais em terras de Resende. Corria o zum, zum de que estaria muito mais concentrada em outras lides e de ter repousado a sua espada das lutas políticas socialistas locais ….… Por causa deste zum, zum, acreditavam que as suas sempre leais e numerosas tropas andavam à solta, e desabrigadas, estavam em ponto de rebuçado para serem tomadas de assalto pelos socialistas livres !!!
Parece que a guerreira rosa não dava sinais de estar com vontade de se envolver, embora fosse credível que pela sua índole de lealdade suprema, apoiasse Manuel Ferreira que lhe foi fiel no seu reinado.
Parece que a coisa terá descambado para a guerra, quando os socialistas livres tiveram a desiluminada ideia de nos seus discursos campanhisticos espetar uns alfinetes na Moutela e no seu líder espiritual Borges. 
Foi quanto bastou. A guerreira, a quem muitos reconhecem uma argúcia descomunal viu logo o filme todo, de trás para a frente, da frente para trás, dos lados para o meio, dos meios para os lados  …..… e deixou-se de repousos !
Num ápice tocou ao chamamento de todas as suas leais tropas e pôs tudo a marchar no cerrar de fileiras à volta da candidatura de Manuel Ferreira.
Com esta soma de tropas o resultado foi hecatombico …. para o grupo dos Barradas, dos Zés,  das Catarinas, dos Torres, dos Cardosos, dos Nunos, dos Adelinos ......
As flechas que dispararam na campanha foram todas direitinhas espetar-se nos seus próprios pés !!!
Manuel Ferreira mostrou ser um verdadeiro arqueiro mor e disparou certeiro na sua reeleição para Presidente da Comissão Politica de Lamego com uma soma arrasativa.
A guerreira rosa diz-se que continuará por aí .....  
 



 

O CASPER diz que o controle votativo feito pelo Ferreira e a Moutela no dia das eleições era tão pedalado que fez revirar os olhos ao grupo dos socialistas livres e a quem passou pela Rua de Almacave.

Sem comentários: