Número total de visualizações de página

sexta-feira, 13 de abril de 2012

FUNDO DE FINANCIAMENTO AUTÁRQUICO ..... PARA DESBUNDAS AUTÁRQUICAS !!!




Francisco Lopes que nos foi apresentado como uma divindade gestora, escafediou a Câmara de Lamego.
Pelo caminho, inventou a Lamego Convida para ajudar à detonação da estrondice. 
Com a sua Câmara falida e sem liquidez, e os multibancos esmifrados a responderem-lhe fora de serviço, Francisco Lopes avançou para o saneamento financeiro e fez um número de circo cacofónico, anunciando o apertar do cinto em 2012.
Quando vemos - somente - os gastos em adjudicações feitas de Janeiro a 13 de Abril de 2012 pela Câmara de Lamego, percebemos que o cinto de Francisco Lopes não é daqueles que apertam, mas sim dos que esticam …. esticam e …..esticam!
Em três meses de meio, Francisco Lopes gastou, pelo menos, e só em adjudicações diretas,  3.220.204,84€ (cerca de metade, dos mais de 6 milhões gastos nesta rubrica em todo o ano de 2011).
À divida total da Câmara de Lamego, que com o multiusos e a Lamego Convida, ronda os 70 milhões de euros, Francisco Lopes afinfou-lhes (pelo menos e só com adjudicações) mais de 3 milhões para cima …

Ganda nóia …. a de este de cinto !!!  

O Governo, que fez previsões orçamentais para 2012 sumindo o dinheiro do povo e somando o dos amigos e dos grandes interesses económicos, enganou-se nas contas da sumição ao povo e foi obrigado a retificar o orçamento.
Com este orçamento retificativo, o governo do Passos Coelho e do Paulo Portas ao mesmo tempo que somam mais ganhos com um novo imposto sobre os produtos alimentares (só porque o povo anda a comer de mais … ), criou também um fundo de financiamento para as Câmara falidas pagarem aos fornecedores.

Adivinhamos que Francisco Lopes deu pulos de contentamento com este insuflamento proporcionado pelo seu governo.
Pensando nos desgraçados dos fornecedores que ardem desesperados com os calotes camarários, o fundo de financiamento para as autarquias falidas até que, poderia ser uma boa medida, se o governo tivesse o juízo suficiente de impor aos senhores autarcas estroinas, a proibição proibitiva de voltarem a fazer desbundas, enquanto não tivessem pago todo o foguetório reluzente, que andaram a rebentar.
Não o fazendo, será que alguém dúvida de que continuará o festim ?!?!?
Por cá, o cinto camarário do Francisco Lopes continuará a esticar … esticar …. E, com a insuflagem estonteante, no estouro final do esticanço, nem uma pedrinha da calçada se aproveitará !



O CASPER diz que só um governo de doidos, depois de ter posto os funcionários das camaras a pagarem com os seus subsídios de natal as dividas que os seus presidentes fizeram, pode vir agora, impor que o seu povo deixe de comer as migalhas, para com a taxa sobre os produtos alimentares, inchar um fundo financeiro para os desbundados pagarem (???)  as desbundas camarárias.  

Sem comentários: