Número total de visualizações de página

terça-feira, 17 de julho de 2012

EM LAMEGO A AUSTERIDADE É ELEVADA AO QUADRADO !




Foi fixado o valor do “resgate” financeiro à Câmara de Lamego ….
Dizem-nos que será cerca de treze milhões e oitocentos mil euros.
Um resgate piquinininho!
Não chega sequer para limpar a divida a curto prazo dos fornecedores autárquicos, que em Dezembro de 2011 andava nos 19 milhões e a que, só nos primeiros 3 meses de 2012, Francisco Lopes arrochou com mais de 6 milhões em adjudicações …..
Um simples sopro de oxigénio que não fechará 1/10 do buraco de ozono que envolve a Câmara do Francisco Lopes e que a tornou irrespirável!
O Presidente da Câmara estendeu as mãos e esfregou-as de contentamento. Cogita agora, possibilidade de distribuir .... mil aqui …. mil ali ….. e … de empaleanço .... em empaleanço, aguentar os crentes fornecedores e o esperançado povo, até às eleições autárquicas  de 2013!
Francisco Lopes não deveria esfregar as mãos. Deveria sim, enrosca-las na consciência da sua gestão autárquica para ver se percebe as consequências tenebrosas que as suas ações provocarão nos Lamecenses.   
Os euritos do empréstimo do resgate têm juros …. Altos, por sinal!
Aceder ao resgate, pagá-lo e aos juros, implica descarregar nos Lamecenses mais taxas e impostos e pelos máximos, e cortes que poderão passar pelo despedimento de funcionários da Câmara ….
Lamego e os Lamecenses sofrerão a austeridade camarária, que somará à austeridade que o governo nos impõe!
Francisco Lopes a divindade da gestão autárquica Lamecense vai presentear-nos com austeridade elevada ao quadrado ….





O CASPER diz que o governo exige que as autarquias utilizem o dinheirinho do resgate para pagar em primeiro lugar as suas dívidas às empresas públicas e que como na Câmara de Lamego, estas, são upa … upa … não vai haver mil aqui … nem mil ali … para distribuir pelos fornecedores privados!

Sem comentários: