Número total de visualizações de página

domingo, 10 de fevereiro de 2013

PETIÇÃO PÚBLICA "NÃO À DESTRUIÇÃO DO PATRIMÓNIO HISTÓRICO E CULTURAL DE LAMEGO "









Teresa Maia é a autora da Petição Pública “Não à destruição do património histórico e cultural de Lamego” que pretende impedir a execução do Eixo Barroco e o assassinato das Avenidas Dr. Alfredo de Sousa e Visconde Guedes Teixeira, que com a sua arquitetura centenária, enquadramento histórico e patrimonial contituem uma parte muito importante da identidade de Lamego.
A curiosidade é que não sendo natural de Lamego, Teresa Maia aqui residiu alguns anos e pelas razões que invocou como fundamentos da Petição Pública (cuja leitura se recomenda) percebe-se o quanto Lamego a “amarrou” e “marcou” definitivamente.
Teresa Maia remeteu-nos um texto que aqui publicamos com a sua autorização expressa e em que partilha os motivos que a conduziram até à Petição Publica  “Não à destruição do património histórico e cultural de Lamego”.
“ ….  Acabei de ler o seu artigo sobre a petição e talvez seja melhor informa-lo de que a petição foi criada unicamente por uma autora, eu.

Como pessoa individual que sou, com cérebro e ideias próprias, criei a petição exactamente porque “Se calhar terá sido esta adjudicação, que provou aos incrédulos que a preservação do património, da história e da cultura de Lamego patenteados nas Avenidas Dr. Alfredo de Sousa e Visconde Guedes Teixeira poderão mesmo ir pelo cano abaixo, ou melhor dizendo, pelos empedrulhamentos abaixo …”.

Não estou ligada a partidos nem grupos anti ou pró presidente.
Sou uma pessoa individual contra o projecto e contra a persistência do criador em o manter, independentemente se é do ps ou psd.
Fiquei realmente incrédula com a aprovação do projecto e da falta de participação dos habitantes de Lamego, como já é usual no que toca aos interesses da comunidade.
Não nasci em Lamego, vivi bastantes anos aí e há vários anos que não moro mas, mantenho raízes, algumas visitas e conhecimento dos grandes acontecimentos como este projecto.
Face realmente à impassividade da população lamecense, ainda que de longe, teria que fazer alguma coisa para tentar impedir ou quanto mais não seja, acordar consciências. O património em Lamego, pertence a todos os portugueses e o dinheiro gasto no projecto sai do bolso de todos os contribuintes.
A petição não foi criada de ânimo leve nem com qualquer sentido político. Foi criada por dever cívico, como cidadã e contribuinte, que continua a achar que uma coisa antiga, artística e funcional nunca deveria ser substituída por uma banal, cara e com ares de “novo-rico saloio”.  

Não conheço o presidente da câmara, sou apartidária e guerras (tardias ou actuais) entre partidos não é o que me move. Perde-se demasiado tempo com floreados políticos em vez de se cingirem ao que interessa.
O que me move é a situação em si, de ver que dentro de pouco tempo, se realmente começarem as obras, tudo aquilo irá abaixo e depois...já não há nada a fazer.
A população deveria ser sensibilizada para conhecer o projecto e o que isso significará, tanto em termos de gastos desnecessários como pela perda de identidade que Lamego sofrerá e ser-lhes dado conhecimento também da existência da petição para que possam dar a sua opinião.

E é tudo isso e só o que pretendo, como autora “a solo” da petição.

Obrigada,
Teresa Maia “

 

Teresa Maia fez a sua parte. Uma parte importante, arrojada e bem demonstrativa da marca patrimonial, histórica e cultural que Lamego impõe a quem por cá passa. É esta marca que pretendem matar !!!
Sobre os Lamecenses fica agora a possibilidade do ónus de dizerem, o que querem.   
Ou, seguem o seu exemplo, defendem a nossa identidade, história, património e cultura e impedem que transformem Lamego numa cidade igual a tantas outras …. empedradas, sóbrias, sem luz e cor, sem passado ….
Ou, simplesmente …. deixam correr, permitindo que transformem um dos corações de Lamego numa coisa invertebrada e incaracteristica !
Se pensa como a Teresa Maia ……. aqui fica o endereço para que possa subscrever a Petição Pública Não à destruição do património histórico e cultural de Lamego:

 

 

O CASPER diz que a Teresa Maia merece bem ser coroada com o título de Lamecense de raiz e pede-lhe que regresse a Lamego e por cá fique definitivamente.  

Sem comentários: