Número total de visualizações de página

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

LAMEGO CONVIDA (ACTO II) .... OS DESPEDIMENTOS !!!






A situação de desemprego de qualquer pessoa pelas consequências pessoais e familiares em que a coloca, causa-nos grande angústia, desassossego e aperto.
A extinção da Lamego Convida atira para o tormento e agonia do desemprego 10 trabalhadores.
Os restantes 17 serão cedidos à Câmara, mas apenas pelo prazo máximo de 1 ano, caducando o contrato que tinham sem prazo e por tempo indeterminado.
Quaisquer que tenham sido as nuances das suas contratações e que na altura provocaram falatórios muito conversados, os 10 trabalhadores despedidos e os 17 que ficarão na corda banda por 1 ano, acreditamos que todos foram contratados porque as actividades que competiam à Câmara Municipal fazer e que foram atiradas para a Lamego Convida, o justificavam.
Se Francisco Lopes e Paulo Correia não tivessem andado nas girandices financeiras brincando às empresas municipais, se a Câmara de Lamego tivesse assumido as suas competências e não tivesse entregue o Teatro Ribeiro Conceição, as piscinas, o pavilhão Álvaro Magalhães à Lamego Convida, estes trabalhadores necessários às respectivas actividades, hoje pertenceriam aos quadros da Câmara Municipal !!!!
A Lamego Convida, a Lamego Renova, o multiusos, as gastações desenfreadas, os Eixos Barrocos ….. têm destas consequências !!!! 
 

 

 

O CASPER diz que há gente que precisava de amargar as agruras da vida para saber o que custa não ter pão para comer e padecer com as consequências das treslouquices de outros   

3 comentários:

Anónimo disse...

São todos uns fdp corruptos

Anónimo disse...

Os boys lá acabam por se safar com mais um ano na câmara. Até lá, vai se arranjar um outro tachozito qualquer....a real competência para o desempenho das funcoes de alguns destes senhores é muito questionável!

Anónimo disse...

A política deixou de ser, para muitos políticos, uma arte nobre, da defesa do bem comum e bem estar dos povos que os elegeram, para se transformar na apropriação do aparelho políco para defesa de interesses por vezes inusitados. Mas, infelizmente, essa postura apropriou-se dos políticos de todas as tendências. A oposição age de igual modo. Daí que a nobreza do exercício da política esteja agonizante.