Número total de visualizações de página

quarta-feira, 5 de junho de 2013

SERÁ ?!?!?!?





O Conselho Geral do mega agrupamento de escolas Latino Coelho vai eleger o mega Director.
Parece que a coisa estava toda bem ajeitadinha, até que um não calculável aconteceu !!! Um não calculável que pôs a comunidade educativa em agitação desassossegada e alborotada.
Em cima da hora, Isabel Mirandela e Carlos Rei resolveram concorrer ao lugar de director do mega agrupamento, obrigando os 21 membros do Conselho Geral a uma trabalheira desgraçada e estorvando-lhes o passeio levezinho pela passadeira estendida a José António Martins.
Diz o Aviso do concurso que os candidatos serão avaliados com base no seu curriculum e no projecto de intervenção que apresentarem para o agrupamento.
Do que se sabe e se diz, quando se fala em currículos Isabel Mirandela e Carlos Rei batem José António Martins …
Isabel Mirandela foi Coordenadora da Área Educativa do Douro Sul (ex-CAE), Presidente do Conselho Executivo da Escola E.B. 2, 3 de Lamego e tem formação superior de especialização em gestão escolar.
Carlos Rei, igualmente com formação superior de especialização em gestão escolar, foi Presidente do Conselho Executivo do Agrupamento de Escolas E.B. 2, 3 de Lamego (o único Agrupamento de escolas que existia em Lamego e que foi sucumbido para criar e engrossar o da Latino Coelho)
José António Martins não terá formação superior de especialização em gestão escolar e foi Presidente do Conselho Executivo do Liceu Latino Coelho.
Até aqui …. o rigor dos pesos curriculares conduziria a contenda votativa à deambulação entre Isabel Mirandela e Carlos Rei.
Mas parece que as opções politicó-locais não estarão vocacionadas para estes 2 Super´s, que não se calam a defender que …. Para a escola, o que é da escola …. e, para a politica, o que é da politica … tornando-se assim, dois modelos nada desejáveis nas modas que vão passarelando por estas paragens Lamecenses.
Ora é aqui, que entra aquela coisa da avaliação do projecto de intervenção no agrupamento que cada um apresentou e que dá pano para mangas, que é como quem diz …. para justificar as inclinações votativas dos 6 votos da representação camarária e comunitária que podem alterar a decisão dos votos educativo !!!!
Para se perceber, na última eleição do género, Isabel Mirandela ganhou a José António Martins nos votos circunscritos à comunidade educativa (professores, alunos, encarregados de educação, funcionários), mas na hora do chamamento a votar dos 3 representantes da Câmara do Francisco Lopes e dos 3 pseudo-representantes da comunidade local, a coisa inverteu-se e a coroa da vitória de José António Martins saiu directamente das mão destas 6 individualidades !!!!! 
Que o mesmo é dizermos …. o que a comunidade educativa considera ser o melhor para a sua escola e educação … tem peso zero para a autarquia e para os pseudo-representantes da comunidade local !!!!
Vai daí …. chegados outra vez a eleições para o mega director, a agitação educativa agita-se, fermenta, inquieta-se, alvoraça-se porque não gosta de a sua vontade ser reduzida a infra zeros.
Dizem os entendidos dos meandros educativos, que apesar do peso curricular e da sabedoria dos projectos apresentados pelos 2 Super´s, o resultado electivo do mega director há muito que está pré anunciado e sabido !!!
Parece que conseguiram chegar a esta conclusão, depois de andarem a espreitar numas cartinhas do Tarôt que lhes visionou um desfecho repetitivo: os representantes do município e da comunidade local vão assobiar nos predicados curriculares, e gostar muito muito muito do projecto de intervenção do ……… José António Martins !!!!    
No dia da eleição se verá …. se as cartinhas de Tarot estavam mesmo ajeitadinhas.
Mas se assim for, Carlos Rei e Isabel Mirandela merecem o titulo de Super´s, pela coragem de pelo menos, terem obrigado à trabalheira da fazedura de um relatório justificadissimo  para os afastarem da categoria de directores e por terem enrodilhado a passadeira do simples passeio na eleição do super director do Agrupamento Escolas Latino Coelho de Lamego.

 

 

O CASPER depois de muito vaguear não conseguiu qualquer esclarecimento sobre o processo seguido para o assentamento dos representantes que representam a comunidade local no conselho geral, e por isso, na falta de melhor justificação, acha que poderá estar relacionado com a propensão politica para a onda tsunamica do champanhe: um, porque o fornece, outro, para abençoar a vertência da espumaria e o outro para ficar de prevenção aos canais despejantes, no caso de a borbulhação os entupirem …     

3 comentários:

Anónimo disse...

Toda esta situação é vergonhosa e devia ser denunciada e tornada publica a nivel nacional! Já é tempo de acabar com estas fraudes.os cargos devem ser atribuidos a quem tem competencia para os ocupar e não por cores partidárias e cunhas.

Anónimo disse...

Pois enquanto os outros dois estavam ocupados a trabalhar para o currículo, o José António Martns estava ocupado a gerir a escola. É preferível um gestor com experiência do que um gestor com currículo. Também era bom que fossem ver a lei antes de dizer bacpradas que não entendem. Também era bom que o autor do blogue aprovasse comentários com opinião contrária à sua.

Anónimo disse...

Deve ser o compadrio no seu melhor. Já agora gestão?? que gestão?? Aceito se aplicarem a palavra ditadura , isso sim.