Número total de visualizações de página

sábado, 3 de março de 2012

O ENDIVIDAMENTO FUMAÇANTE .... PLANO DE SANEAMENTO FINANCEIRO (PARTE II )






Pescamos que o Pinóquio tem um problema mentiral com o Francisco Lopes.
O Pinóquio diz que não é justo apelidarem-no de mentiroso, porque só mentiu uma meia dúzia de vezes em toda a sua vida e mesmo assim, toda a gente dava conta e sabia, porque o nariz lhe crescia …  
Vistas as coisas neste panorama  … até que damos razão ao Pinóquio.


No seu Plano de Saneamento Financeiro, diz o próprio Francisco Lopes  que em 2009 excedeu em 5.515.515,36€, e em 2010 no valor de 3.609.715,43€, os limites legais de endividamento da sua Câmara.
Demos conta que teve a cautela de escrever “aproximadamente”, o que nos parece ter a ver com os problemas  que ele tem com o Pinóquio e não vá o diabo tecê-las e vir por ai alguém fazer as continhas certas  
Ou será, porque ainda não tiveram tempo de abrir a gaveta da secretária do imensurável Chefe de Gabinete José Pinto ???!!!

Uma coisa é certa.
Nestas continhas do “aproximadamente”, falta somar o estrondo do Multiusos e a detonação da Lamego Convida! 

E certo, certo …é que o Tribunal de Contas decretou que no ano de 2008 a Câmara do Francisco Lopes tinha um individamento de 21.245.060,02€, quando só poderia ter atingido 12.713.569,08€, tendo assim ultrapassado o limite do endividamento permitido por lei (que corresponde a 125% das receitas recolhidas) em 67% e por isso, em 8.531.491€.

Se assim era …. e se no quadro do Plano de Saneamento Financeiro nos dizem os próprios, que tem sido sempre upa, upa as despesas, os empréstimos, os juros e amortizações …  fizeram bem em escrevinhar o “aproximadamente” nos  valores do endividamento em 2009 e 2010 ( 2011 ainda estão a fazer as contas) !

Deviamos era ser esclarecidos de quais são os parametros minimos e máximos do “aproximadamente” na Câmara do Francisco Lopes! 

Seja como for, “os valores que nos dão para lermos” já justificam uma gritaria geral.

Mas quando olhamos para o que se passou desde Novembro de 2005, altura em que Francisco Lopes foi eleito dono da Câmara de Lamego e de todo o concelho, comprovamos que:  
·         Recebeu uma Câmara que tinha de receitas totais de 17.273.823€. E em crescendo, no ano de 2010 atingem 24.271.600€.

·        Recebeu uma Câmara que gastava em despesas 17.063.628€. Com Francisco Lopes foi de upa, upa, em upa, e no ano de 2010 temos 25.084.402€ de gastação.

A Câmara de Lamego passou de um saldo orçamental de 210.195€ (em 2005) para …… - 812.802€ (2010).

- 812.802€ ??? Mesmo “aproximadamente” é um saldo bué, bué de negativo !!!  

Francisco Lopes fez mais ..
·        Recebeu uma Câmara que devia a fornecedores 5.040.904€ e em 2010 deve 17.628.988 ( o valor a 13 de Fevereiro  é de 18.225.619,14€)

·         Recebeu uma Câmara com uma divida aos bancos de 4.723.325€ e encargos com juros e amortizações de 679.697€. Transformou-a numa divida bancária de 14.320.694€ com juros e amortizações a situarem-se em 2.408.708€ 

A despesa aumentou, mas aumentaram  igualmente as transferências da Administração Central (2005 = 10.406.566€ / 2010 = 14.617.627€).

As receitas Municipais também aumentaram (2005 = 6.035.851€ / 2010 = 9.053.974€).


Afinal, entram milhões na Câmara do Francisco. 
E pelos vistos ... as notinhas dos milhões ardem …. e esfumaçam-se …
A fumaça esfumaçante dos milhões que circulam, é embriagante de tanto fumaçar ...    

Quando apresentaram Francisco Lopes a Lamego disseram-nos que era um gestor de topo!

Pois …. Vistas as coisas neste panorama ….. nem “aproximadamente” !!! 



O CASPER  diz que com estes valores impudicos há uma probabilidade elevada de haver um defumadouro na Câmara de Lamego ….  

Sem comentários: