Número total de visualizações de página

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

MESMO CAVERNOSO ....




O Pavilhão Multiusos é mesmo cavernoso!
Cada vez que levantamos uma tábua, aparecem-nos bicharocos esquisitos ….
Depois da escuridão de um catálogo infindável de ilegalidades de que os Tribunais na sua lentidão haverão de pôr fim, dos milhões que a Câmara não tem para o pagar, dos enviesamentos manobristicos dos Irmãos Cavaco, chega-nos agora a noticia que as Construções Gabriel Couto SA que também fazem parte da Lamego Renova e andou no multiusos a pôr ferros, chapas, cimentos, pregos, parafusos, tijolos, argamassas, betão …. também não é daquelas florzinhas que se possam cheirar ….  

Então não é que a Construções Gabriel Couto SA foram condenados pelo Tribunal Distrital de Nenagh, Tipperary, da Irlanda por falsificação de documentos e exploração de trabalhadores?
O  caso remonta ao ano de 2007 – o mesmo ano em que foi constituída a Lamego Renova de que são parceiros - quando mais de uma centena de portugueses, contratados para trabalhar na construção de uma estrada na Irlanda, se queixaram de que tinham sido enganados e estavam a ser explorados pelos seus empregadores.
Os trabalhadores portugueses foram arregimentados com um contrato para a construção desta estrada na Irlanda, mediante um salário de 16,75 euros por hora, 40 horas de trabalho semanal, alojamento e alimentação.
Postos a trabalhar lá longe, a Construções Gabriel Couto SA afinal …. só pagava 7,50 euros por hora, eram 60 horas de trabalho semanal  ( mas só recebiam por 40 horas), a alimentação não sustentava um homem, os banhinhos eram de água fria (com uma temperatura ambiente de 2 graus negativos) e quanto às dormidas … ao monte num quarto!
Os trabalhadores depois de reivindicarem junto das Construções Gabriel Couto SA e de os terem mandado às malvas, resolveram chamar a Inspecção de Trabalho que para além de lhes dar razão, andou a ver os papeizinhos e descobriu que eram …. Falsificados!
Por isso … os Senhores das Construções Gabriel Couto SA tiveram de sentar-se no banquinho grande do Tribunal e … foram mesmo condenados.
Condenados por falsificação de documentos e exploração de trabalhadores.
Condenados a pagar aos trabalhadores tudo o que lhes era devido!
Quer isto dizer, que as Construções Gabriel Couto SA quando não gostam dos documentos que são verdadeiros, fazem outros, que lhes dêem muito mais jeito e …. que gostam da escravatura laboral!
Agora percebemos as queixas de uns trabalhadores que andaram a argamansar no multiusos e que asseguram que a coisa por lá era dramática e que ficaram a arder …   

Mas as Construções Gabriel Couto SA que gostam de parcerias público privadas entrelaçadas com os Irmãos Cavaco, não gostam que nos concursos públicos se exija que as empresas concorrentes tenham de apresentar garantias técnicas e financeiras que comprovem o seu arcaboiço para fazer tudo direitinho e certinho!
Pois é .... Há Câmaras que não brincam e exigem estas garantias!
Estes dois comparsas concorreram a um concurso público para uma parceria publico privada que faria uma montanha de construções lançado pela Câmara de Famalicão.
E perderam, por causa deste pequeníssimo pormenor garantistico …
As Construções Gabriel Couto SA e os Irmãos Cavaco SA não gostaram e .... paralisaram tudo com uma providência cautelar, mas na acção definitiva o Tribunal Administrativo deu razão à Câmara de Famalicão e mandou os Senhores construtores bugiar …  

Agora também percebemos porque é que as Construções Gabriel Couto SA e os Irmãos Cavaco SA não gostam do Presidente da Câmara de Famalicão e ….. gostam tanto e muito, muito do Presidente Francisco Lopes.
Francisco Lopes e a Lamego Convida cuja presidência rodou entre ele e a Teresa Santos, não só não quiseram que eles dessem quaisquer garantias técnicas e financeiras do seu arcaboiço, como ainda puseram a própria Câmara de Lamego, a garantir aos bancos que se eles não pagassem os seus empréstimos para avançarem com a construção do multiusos, nós pagaríamos por eles!  
Se não fosse o facto de o Francisco Lopes garantir estas coisas com dinheiro que não é do bolso dele …. até pensaríamos tratar-se de um verdadeiro amor e paixão!   

Quando sabemos que a constituição da Lamego Renova e a construção do pavilhão multiusos não foram sequer sujeitos a concurso público e juntamos as notícias, que na data já eram públicas, sobre as Construções Gabriel Couto SA e os Irmãos Cavaco SA, arrematamos …. Francisco Lopes tem olho para a coisa!



O CASPER acha que os Marinhos só entraram nesta parceria público privada chamada Lamego Renova, porque o Francisco Lopes é um bom embriagador de mentes …  

Sem comentários: