Número total de visualizações de página

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

O DIA DO MULTIUSOS





Hoje a selecção nacional de andebol aliviou por alguns momentos o nosso desalento por causa das “crises”.
Portugal ganhou. Festejamos a vitória e tivemos orgulho nos jogadores que vestiram a camisola das quinas.
Os nossos jovens do Andebol Clube de Lamego ganharam novo alento com os seus heróis.   


Hoje foi o grande dia do Pavilhão Multiusos que passou a chamar-se Centro Multiusos!
Ficamos admirados com a mudança de nome, mas explicaram-nos que a alteração se deve  a uma tentativa de empandeirar o mau augúrio, que já vai provocando algumas insónias …
Insónias a quem tem de passar a pagar 150.000 € por mês (e por 30 anos) e a quem teme não os vir a receber!
E insónias por causa da salgalhada das ilegalidades com constituição da Lamego Renova, com a construção do multiusos e com as Cartas de Conforto em que a Câmara do Francisco Lopes se “atravessa” nos empréstimos bancários que a Lamego Renova contraiu na CGD para construir o elefante, que o Tribunal de Contas chumbou e mandou para o respectivo Ministério Público.
  
Também nos explicaram que o Bispo de Lamego foi chamado a abençoar e a benzer .... o betão, a cofragem, o aço, os rebocos, o granito e as pinturas, para ver se com a água benta a coisa corre melhor.
Com esta bênção o Presidente da Câmara espera lhe caia do céu o dinheirinho para pagar à Lamego Renova (Lamego Convida EP, Francisco Pereira Marinho & Irmãos SA, ETI - Empreendimentos Turísticos Imobiliários SA, aos Irmãos Cavaco SA e às Construções Gabriel, A.S. Couto SA)
Sim, porque aqui da terra já Francisco Lopes descobriu, que não lhe nascerá  tostão!
Mas deste abençoar, espera também Francisco Lopes, a intervenção divida para lhe aliviar a alhada das ilegalidades que cometeu com as “trocas tintas” entre a Câmara de Lamego, a Lamego Convida e a Lamego Renova que o Tribunal de Contas lhe destapou …

O dia só não foi pleno de felicidade, porque não tivemos a presença de nenhum membro do governo para cortar a fita e desfazer o laçarote do elefante ….
Dizem-nos que a razão foi da agenda governamental.
Não da agenda de inaugurações. Mas sim da agenda governamental de “cripocuós” e que assinala os “desconchavos” onde não convém o governo mostrar-se, para não ficar igualmente “cripocuózado”!


O CASPER assegura que o Francisco Lopes não sabe mesmo como há-de pagar o multiusos e que o expert da engenharia financeira Paulo Correia ainda não descobriu forma de fazer aparecer o dinheirinho.

Sem comentários: