Número total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

CRISE SÓ PARA ..... ALGUNS !



O Teatro Nacional D. Maria II é uma empresa pública e o cargo de Director Artístico é de nomeação politica.
O governo de Pedro Passos Coelho está apostadíssimo em cortar as “gorduras” do estado.

O governo PSD/CDS nomeou um novo Director Artístico para o Teatro Nacional D. Maria II.
O salário mensal do novo Director Artístico (João Mota) é superior ao do seu antecessor.
João Mota encontrava-se na situação de aposentado, vivendo como a maioria dos reformados com uma pequena pensão. 
  

Estamos esclarecidos!
Cortes nas gorduras do Estado é só palavreado da treta ....
O empobrecimento que Pedro Passos Coelho quer para os portugueses, é só mesmo ….. para alguns!



PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DAS FINANÇAS
Gabinetes do Ministro de Estado e das Finanças e do Secretário de Estado da Cultura
Despacho n.º 17318/2011

Os Estatutos do Teatro Nacional D. Maria II, E. P. E., (TNDM, II, E. P. E.), aprovados pelo Decreto -Lei n.º 158/2007, de 27 de Abril, prevêem nos números 2 e 5 do artigo 15.º que, no caso em que as funções de director artístico não sejam exercidas por um dos membros do conselho de administração, o mesmo é nomeado por despacho conjunto dos membros do Governo responsáveis pelas áreas das finanças e da cultura, devendo a sua escolha recair numa personalidade de reconhecido mérito cultural, com perfil, formação e experiência nos domínios da programação e direcção artísticas das respectivas áreas de actuação, e que o respectivo mandato tem a duração de três anos.
Considerando o curriculum de João Mota, publicado em anexo, que apresenta um perfil, formação e experiência adequados para o exercício das funções de director artístico do Teatro Nacional de D. Maria II.
Considerando que, para cumprimento das obrigações de serviço público impostas ao TNDM II, E. P. E., a estrutura orgânica integra, obrigatoriamente, o director artístico responsável pela programação do Teatro Nacional, recaindo a sua escolha em personalidade de reconhecido mérito cultural, como é o caso do Encenador João Mota cujo notável percurso profissional evidenciado no seu curriculum permite reconhecer o interesse público excepcional da sua nomeação e autorizar o exercício das funções de director artístico pelo período de três anos do seu mandato, ao abrigo dos artigos 78.º e 79.º do Estatuto da Aposentação, aprovado pelo Decreto -Lei n.º 498/72, de 9 de Dezembro, com as alterações introduzidas pelo Decreto -Lei n.º 137/2010, de 28 de Dezembro.
Assim, ao abrigo do disposto no artigo 15.º dos Estatutos do Teatro D. Maria II, E. P. E., aprovados pelo Decreto-Lei n.º 158/2007, de 27 de Abril, e dos artigos 78.º e 79.º do Estatuto da Aposentação determina-se:
1 — Nomear Director Artístico do TNDM, II, E. P. E., João Manuel da Mota Rodrigues, com efeitos a partir do dia 21 de Novembro de 2011 e autorizar o exercício das respectivas funções nos termos do disposto nos artigos 78.º e 79.º do Estatuto da Aposentação.
2 — Fixar em seis mil euros a remuneração mensal ilíquida correspondente ao exercício das funções de director artístico.
19 de Dezembro de 2011. — O Ministro de Estado e das Finanças, Vítor Louçã Rabaça Gaspar. — O Secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas.




O CASPER  diz que os tempos estão de feição para os "artistões" e que há muitos "amigos" que na crise dos outros, vivem muito bem …..  

Sem comentários: